Telefone
15 3228-6757 - 15 3228-6905
Helicoverpa armigera: De "ameaça fitossanitária" para "praga devastadora" em apenas três anos

Marcos Vilela de Magalhães Monteiro*

Com mais de cinco décadas de dedicação ao tratamento fitossanitário e tendo participado de trabalhos importantes como Ferrugem do Café, Mal de Sigatoka dos Bananais, Lagarta das Maçãs do Algodoeiro, Ferrugem da Soja, Cigarrinha da Cana, etc. não vi nada parecido com o ataque simultâneo ocorrido na safra 2012/2013, de várias espécies de lagartas  que têm como espécie mais agressiva a Helicoverpa armigera, identificada recentemente no Brasil.

Os agricultores, entomologistas e agrônomos se mobilizaram com a rapidez possível e conseguiram as informações entomológicas básicas para construir a estratégia de combate a essa nova PRAGA.

As moléculas de maior eficiência biológica também foram identificadas com o auxílio da experiência internacional, tendo-se já informações confiáveis sobre os PRODUTOS a serem usados.

O desafio agora é tirar esses produtos das prateleiras e distribuir em milhões de hectares a serem  tratados no tempo certo e com a NEBLINA correta. As neblinas que produzem gotas de maior eficiência biológica para o controle de lagartas são conhecidas pelos especialistas Ingleses do Instituto de Tecnologia de Cranfield desde o inicio da década de 1970 quando eles controlaram com sucesso uma grande infestação de Heliothis armigera em 240.000 hectares de algodão no Sudão.

A calibração dos aviões e tratores para produzir essas neblinas com alta porcentagem de gotas muito finas e o monitoramento das aplicações, são basicos para o sucesso no controle das infestações. Temos que saber que neblinas estamos produzindo e mudar se necessário.

Para a captura e avaliação das gotas finas e muito finas o Centro Brasileiro de Bioaeronáutica (CBB) desenvolveu recentemente um coletor rotativo baseado em tecnologia da Organização Mundial da Saúde para avaliação de neblinas eficientes no controle de mosquitos. Montamos o Kit de Medição de Gotas Finas, (Kit-MGF), um kit simples e com custo baixo que avalia a porcentagem de gotas de maior eficiência biológica no controle das lagartas.

Uma coisa é matar lagartas, outra é reduzir os danos provocados pelas infestações. No caso das armigeras elas conseguem causar em três a quatro dias 50% dos danos totais do seu ciclo. Por isso os Entomologistas Ingleses consideram como o fator mais importante para o controle dessas lagartas a época correta das aplicações ou "timing"; mais importante mesmo que a dosagem de princípio ativo do produto

Com o domínio das informações sobre PRAGA, PRODUTOS e NEBLINA, a eficiência de um tratamento depende finalmente de uma ESTRATÉGIA de controle. Esse trabalho devido a sua complexidade tem que ser desenvolvido por uma equipe multidisciplinar que baseada nos levantamentos entomológicos traça um programa de ação e acompanha o seu desenvolvimento.

De uma "praga devastadora" para uma "praga sob controle" em apenas três anos.

O complexo de lagartas da subfamília Heliothinae pode ser controlado com: Uso do principio ativo correto na dosagem adequada; Monitoramento eficiente e constante; Aplicação de neblina correta com formulação oleosa; Aplicações sequenciais no tempo certo e em condições meteorológicas adequadas; Seguir a orientação dos especialistas.   

O primeiro passo é investir em Treinamento e Tecnologia de Avaliação de Neblinas.

* Doutor em Agronomia e Diretor do Centro Brasileiro de Bioaeronautica em Sorocaba, SP.